19.10.05

 

Em causa própria

Não queria muito trazer isto para aqui, mas gostava de vos avisar que vou deixar aqui no FF algumas notas relacionadas com os destaques musicais que faço na Edição da Noite da RR.

Acreditem ou não, já tocaram na Rádio Renascença nomes como Nils Petter Molvaer, Françoiz Breut, Filipe Pinto-Ribeiro, Uri Caine ou Domenico +2...

Comments:
E a Ágata? Já passou a Ágata?
Não? Então esteja mas é caladinho!
 
por acaso, assim de repente, não estou a ver quem sejam esses que foram passados...

sei é que ouvi na sexta um pouco do programa (já topo o JPF à légua ;o) ) e ouvi a magazine de arte. o cota que falou sobre a exposição com quadros de Schiele e de Klimt era um forazaço!!

já agora: viva Schiele e Klimt!!

qt à musica: tenta passar lá o último single dos NIN, está uma bomba! ;o)
 
Como uma vez alguém me disse, trabalhar com a Ágata é o ponto alto de qualquer carreira profissional...

Por isso nem experimentem... Já é o que é com JPF... Com a Ágata as audiências arrebentavam!!!

Agora, imaginem só a impensável mas explosiva dupla "ÁGATA + JPF"...
 
Não ouço por razões óbvias. Mas leio quase todos os dias o guião desse "filme" ainda antes do nascer do sol, e dá para tirar algumas impressões.
Já disse e volto a repetir : gosto da concepção holistica que tens dos noticiários e agora aplicada na EN : ou seja, o "todo é muito mais do que a soma das partes".
As coisas estão interligadas, a realidade não se faz de acontecimentos "estanques", que se relatam debitando em sequência formal. Tudo isto é uma rede, e inevitavelmente as coisas entrecruzam-se.
Não basta só recorrer à intertextualidade, porque o nosso suporte não é apenas esse, mas também "inter-sonoridade". Saber cruzar os elementos.
Por exemplo, é possivel fazer jogos de palavras sem perder a seriedade do que se relata. É possivel usar o som de outras formas,sem ser simplesmente para debitar o "sound-bite".
Não estamos a falar para o vazio, estamos a falar para pessoas. É preciso saber "espicaçá-las", provocá-las, chamar-lhes a atenção, estabelecer com elas uma relação mental, pô-las não só a ouvir mas também a questionar aquilo que ouvem. Pelo menos acho que esse é um espaço propicio a esse tipo de exercicio.
Penso que é possivel ainda fazer coisas interessantes sem cair no fenómeno do "arrastamento mediático" e na homogeneização dos formatos, de querer ou ter de ser igual aos outros.

Mas enfim, assuntos para uma conversa já prometida mas que ainda não chegou ...
 
Passa mas é Neubauten!!!
 
Eu não posso ouvir. Ouço o tercinho já na cama, como uma sopa e durmo. Mas passe lá canto gregoriano, faxavor.
 
tenho um primo q trabalha na rr....diz a noticias e vai ao mercedes hehehe
 
Torres Ferreira: tu és um poço de surpresas. Um primo na RR? Não sabia...
 
Camarada, Food-i-do, um primo de Mercedes, Kapitalist e católico nacional? Temos inimigos políticos na família...
 
JPF, suponho (por amigo comum) que o som que passa na RR por essa hora será interessante e fugirá aos padrões radiofónicos nacionais.
Se assim é, Parabéns, estarei atento...
Que saudades da TSF anterior a este director...
 
vou agora mesmo ali ao auditório municipal de vng e aproveitarei para sintonizar a rr...vamos lá ver se ouvimos coisas boas.
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?