7.9.05

 

Mitos Urbanos (RPS)

Ainda não vi (e tenho pena), mas já várias pessoas me falaram de um programa, O Caçador de Mitos, que passa no Discovery. Tanto quanto sei, o programa desmonta mitos urbanos. Por exemplo, o mito de que falar ao telemóvel junto a uma bomba de gasolina provoca uma explosão.
É evidente que, se provocasse, já teriam ocorrido milhares, milhões de explosões em todo o mundo. Só eu, no Porto e arredores, já teria provocado centenas, partindo do princípio que escaparia sempre ileso.
Dizem-me que, em programa recente, O Caçador de Mitos desfez este mito do telemóvel, criando as condições ideais para a ocorrência de uma explosão que não aconteceu.
Noutros programas, outros mitos foram desfeitos. Provou-se, por exemplo, que, debaixo de chuva torrencial, uma pessoa molha-se mais correndo do que se caminhar no passo normal. Portanto, não corram para escaparem à chuva. É inglório.

Mas, para além deste género de mitos urbanos facilmente desmentíveis e desmontáveis, há outro tipo de mito urbano impossível de ser testado porque depende exclusivamente do facto das pessoas acreditarem ou não.
Milhares de pessoas contam umas às outras - e acreditam - que uma senhora foi infectada com HIV ao sentar-se numa cadeira de cinema em Paris. Alguém lá tinha colocado uma agulha...
Também já me contaram que uma senhora foi morta por uma picada de cobra no Continente de Gaia. O réptil encontrava-se no meio de cachos de bananas importadas de África. Aposto que noutros países a mesma história é contada como tendo ocorrido numa cadeia local de hipermercados.

Deparei-me, entretanto, nos últimos tempos, com dois novos mitos urbanos. Não atingiram, pelo menos até agora, dimensão planetária, mas instalaram-se, firmes, por aí, em círculos que me são próximos. E, a essa escala, assumem já dimensões inusitadas.

Um destes mitos diz que no Triplex são colocadas determinadas substâncias no sistema de ventilação. Quem quer acreditar, acredita e encontra, assim, explicação para comportamentos e atitudes assumidos pela generalidade dos frequentadores. Acreditam sem se questionarem sobre as quantidades de alcool que ali se enfrascam nem sobre o acesso directo e fácil que qualquer pessoa tem a produtos capazes de induzir alterações comportamentais.

O outro mito diz que um pacato e discreto professor universitário do Porto sobreviveu, durante recente safari no Quénia, a três diferentes investidas de animais selvagens: de um rinoceronte, de um antílope (surgido durante uma micção do turista ao relento) e de um leão.
Se fosse apenas um episódio, as pessoas colocariam dúvidas. Mas, como notou Goebbels, as massas acreditam mais depressa numa grande mentira do que numa pequena mentira. E, perante três-ocorrências-três, os mortais pasmam e acreditam mais facilmente. E espalham o mito.

No caso deste novo mito urbano, um detalhe há que o torna ainda mais sedutor: enquanto que nas investidas do rinoceronte e do antílope valeu ao herói a velocidade de ponta, a investida do Rei da Selva foi resolvida com um colocar da mão do protagonista sobre a cabeça do felino. Assim o domou.
Neste mito urbano podem acreditar. Eu acredito cegamente. Porque quero. Porque sonhava ter - e até hoje nunca tinha tido - um amigo que é um mito urbano. Quem quiser conhecer o amigo Leonardo, um mito urbano, diga-me.

Comments:
- Oh filho!!!! Tu bebes ???? - pergunta a mamã surpreendida com o estado lastimoso do filho que chega a casa às 6 da manhã de domingo.

- Não! - "Gruarrrrrrrggg" (vómito abundante no meio da sala)É do ar condicionado do bar em que estive! - responde o filho com o cabelo à fodasss, camisinha da Gant e sapatinho à larilas.

- Ai valha-me Deus! E o ar condicionado deixa esse cheiro a alcoolico anónimo? - pergunta a mamã

- É! Eles põem uma substância qualquer na ventilação e o pessoal fica - guarrrgg (réplica do vómito) - meio marado! - responde o filho

- Vês? O pessoal lá do teu trabalho é que tem razão. O ar condicionado faz mal...
 
eu conheço um tipo chamado Urbano!!
lá está! as mentiras são mesmo assim! se se passarem com alguém que nós conhecemos acreditamos mais facilmente... ;o)
não quero conhecer o leonardo. pergunta-lhe só se a cabeça do leão é fofinha...
sabes quem tb pôs a mão suavemente na cabecinha do leão? foi o wagner love...
 
O mito urbano anda próximo do boato. Gostava de conhecer os mecanismos da sua formação e divulgação. Outro dia, senti-me tentado a lançar no meu blog a notícia de que o pedido de ajuda do governo português á União europeia por causa dos incêndios tinha ocorrido apenas depois de ter ardido umpinhal do ministro da agricultura. Gostava de ver se a coisa pegava e se espalhava. Afinal, as pessoas acreditam naquilo em que querem acreditar.

PS- há um livro magnífico da colecção "Biblioteca Universitária" (já antigo) intitulado justamente "O Boato". Recomendo a sua leitura.
 
E a dos esfaqueamentos nas casas de banho dos centros comerciais?
 
Já fui vítima,durante anos,de determinadas substâncias do sistema de ventilação,inexistente diga-se,do tasco onde ia abastecer de cerveja...

Recordo bem,que no dia seguinte,a culpa da ressaca era sempre,invariavelmente,do excesso de fumo do X-Tasco...

Não se trata de um mito urbano,mas da pura realidade...
 
Tb desmontaram aquele mito do se mijares para a linha do metro (a electrificada), levas um esticão que vais directo para a quinta das tabuletas... Falso!!

Outro, foi o tentar explicar que tentar assassinar um gaijo com balas de gelo, não dá em nada...

Ainda outro, foi aquele do elevador em queda e, dando um salto no último momento antes do impacto, um gaijo safava-se... Mentira!

Um que foi confirmado (infelizmente), foi aquele em que alguns cd´s, lidos a alta velocidade (52x), se desintegram, saindo da gaveta e podendo causar graves lesões em quem estiver perto (mais pela acção dos estilhaços do cd desfeito);

Outro que achei imensa piada e que foi repetido n vezes, tendo resultado em quase todas as tentativas, foi aquela do gajo que pendurado numa corda, através de uma roldana, com um barril de tijolos na outra ponta, acabando o rapazinho por levar com o dito na cornadura...
 
O "Alheira" Sá Pinto da Ribeira também é um mito urbano...
 
E existem mesmo boxers e t-shirts da sorte???
 
Mitos Urbanos é nos Carvalhos... nos Carvalhos!!!
 
Ahh são substâncias que colocam na ventilação do Triplex?? Não sabia. Sempre pensei que fossem problemas hormonais e de carência, já que, como muito bem disse, afecta apenas “a generalidade” dos frequentadores daquele espaço nocturno.
 
MITOS URBANOS

O mito dos 500 paus e um Omega…

Pastilhas elásticas dadas a alunos do ensino básico com droga, embrulhadas em papeis com bonecos fluo ou brilhantes

Pessoas encontradas em locais ermos que não sabiam o que lhes aconteceu e da qual os raio x mostrava a subtracção de órgãos para transplante a bordo de navios clínicas sitos em alto mar, praticados por cirurgiões de escol

Cavalheiro indiano internado no hospital xyz em Lisboa, com febres altas -. 1º caso da gripe das aves.

Todas as teorias da conspiração, desde a DE J.F.K à de que o vírus da SIDA foi inventado pela CIA e lançado pelos EUA, experimentalmente, através de uma bomba aérea, em África para eliminar “os negros”, por epide-mia de contacto sexual, dado que estes seriam mais promíscuos. A ideia final seria importar africanos infectados para os EUA que infectassem os "afro-americanos”. O SIDA apenas, supostamente, atacaria os negros. Como também atacou os brancos – a ideia foi abandonada

Tudo casos para os XFILES (Ficheiros Secretos)

Faz lembrar aquele cavalheiro que se queixou de ser perseguido por anões verdes que desapareciam sem-pre que ele voltava a cabeça para os fitar…

Alguém quer deixar mais recordações ?
 
Com substâncias ou não o Triplex é um belo lugar para desfrutar de todos os sentidos.
E saber desfrutá-los não é estar carente...
Ter problemas hormonais é negar e contrariar os apelos da mãe natureza.
Isso sim.
 
...enfim, resumindo isto tudo, com serenidade e bom senso: "o que é preciso é um gajo vir-se"
 
Acabo de conhecer mais um "mito urbano"... Provavelmente um dos mais brilhantes!

No desempenho das minhas funções deparo com uma senhora que me diz:

"-Sabe porque é que eu não voto? Porque no arredores de Manhattan existe desde 1920 uma catacumba onde vão pessoas como o Belmiro de Azevedo para decidir quem e como vai morrer... Para que hei-de eu de votar? Hã? E quem me disse isto foram uns amigos que foram lá... Foram lá com os sobrinhos do Silvio Berlusconi!"


Tenham medo... muito medo...
 
"o que é preciso é um gajo vir-se"
Para alguns e algumas isto é verdadeiramente um mito urbano!
 
Vir-se com carne podre e muito usada?

LOL
 
Só uma dúvida:

Como será um mito rural?
 
Com vacas loucas...
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?